quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Um livro de poesias, uma carta e chá de morangos

 


Querida e doce amiga,

escrevo essa carta depois de ter tomado um delicioso chá da tarde, estava chovendo e o cheirinho de terra molhada se juntou com o cheirinho de chá de morango, com os bolinhos de chuva e os biscoitos de polvilho que eu fiz. E sempre depois de uma doce chuva e de um delicioso chá da tarde, dá uma vontade de escrever uma cartinha, fazer com todo carinho um envelope e pensar no caminho até a caixinha de entregas. Mais cedo o passarinho carteiro me trouxe um pacotinho precioso, não estava esperando por ele, e foi uma grande surpresa. Sabe o que era? Um livro! Um presente tão mágico que meus olhinhos ainda mal conseguem acreditar. E quem me deu? Oras, claro que vou lhe contar minha amiga! Foi o grande urso da montanha, sim, aquele que um dia eu ajudei costurando um lindo cobertor para que ele pudesse ficar confortável em sua caverna. Ele me disse que quando viu o livro logo se lembrou de mim, e disse que logo quer tomar um chá comigo e com você, imagina, poderíamos fazer um lindo piquenique, só de imaginar eu fico encantada! O livro conta doces histórias em forma de poesias, de versos mágicos, logo no começo tem uma coelhinha navegando em um doce barco, cheio de florzinhas, com a lua no céu, estrelinhas e todo aquele reflexo lindo que a lua faz ao caminhar pelas águas, ela toca uma pequenina Lira, posso até ouvir a música do instrumento que inspirou meu nome. Vou deixar para você um pedacinho do poema, e quando você vier pra cá, vou ler ele todo para você, mal posso esperar a hora de ver você amiga e sentir todo o brilhinho de seus olhos ao escutar a poesia, espero que esteja tudo bem e que você também esteja tomando bastante chá de morango!

 

“Lindo caminho lunar

Para ti canto uma canção

Minha doce Lira suspira

E meu barquinho só a navegar.

Dele floresce

E sonha

Brotando rosas marítimas.

Que minha música guarde

Em poesia seu doce coração”.

 

 

Com todo carinho e afeto,

Sua amiga coelhinha Lyre.

 

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Um pequeno conto da princesinha dos lagos



Rejeitaram seu coração princesinha dos lagos, como se ele fosse pequenino demais, bem do tamanho de uma gota de chuva, e não pudesse musicar a canção chuvosa. Você caminhou com o orvalho nos passos,  e com aquelas gotinhas salgadas pregadas nos cílios. Não escutou a música dos grilos e das cigarras, e nem o toque de tamborzinho encantado que as gotas de chuva faziam nos cogumelos pelo caminho. Não viu os vaga-lumes na noite seguinte, nem as estrelinhas bordando luzes em seus olhos. Mas apesar disso doce princesa, os dias passam, e você conhece seus lagos, suas flores, seu coração poético, você sabe que tem chuvas e dias de sol inteirinhos dentro de ti, e as canções da noite e os sons da floresta. E vai fazer uma coroa de lavandas, rosinhas, girassóis e versos, ler aquele conto encantado, e acreditar mais uma vez naquele lugar, onde um dia nenhum coração será quebrado.


segunda-feira, 15 de junho de 2020

Algumas doces aventuras

Olá! Essa semana participei de uma listinha de ideias de ilustrações lá no Instagram chamada "Animal Adventures". Depois dos sete desenhos terminados, e com algumas legendinhas para eles que criei ao acaso ali na hora para postar, eu acabei pensando em juntar tudo em uma história poética que aqui deixo para vocês! Espero que gostem! 





Ursinha usa uma lupa mágica
Para engrandecer os jardins
Que afloram nas suas aventuras vegetais.
Se não é ou foi um dia flor, ainda será.



 
A Raposa escala montanhas
Busca alcançar as lavandinhas
Que por lá crescem,
Tocam delicadamente um tantinho de céu. 




 
Há florestas no coração da Lobinha,
Passeios entre árvores desconhecidas
Sonhos com toalhinhas xadrez de piquenique,
Poucos pertences, a floresta é imensidão. 



 
No fundo dos mares, Raposinha descobre
Sons feitos de água,
Conchas que abrigam cantos de sereias,
Cantigas de ondas que adormecem.


 
Quando a doce Camelinha
Anda pelos desertos com sua bolsinha de aventuras,
Vão brotando florzinhas, cor de areia são as folhas,
As pétalas das flores da cor de seu coração.




 
Pela copa das árvores, Ursinho olha e olha,
Para além das árvores com sua luneta mágica.
Há pedacinhos de céus nos troncos,
Que sonham todas as florestas. 



 
Passarinha azul é feita de céu
Mas tem no coração um brotinho nascente.
Joga sementinhas nas nuvens,
Outros brotinhos com cheiros de chuvas nascem sonhadores.