sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Guarda-chuva amarelo, galochas vermelhas e doce Tekinha


Quando eu era pequenina tinha um guarda-chuva amarelo, gostava tanto dele que sempre torcia para que chovesse para poder ir com ele para a escola. Caminhava pulando poças d’água, desejando também ter um par de galochas vermelhas que nunca tive, e isso me faz sentir saudades dessas galochas que nunca existiram, e me perguntar o porquê de não as ter tido até hoje. Elas ficaram nos sonhos, nos desenhos, e quem sabe quando a próxima temporada de chuva aparecer eu não compre um par de galochas vermelhas? As chuvas até mudaram, mas quem sabe. Nunca desisto de pequenos sonhos, a vida é feita desses detalhes de pequenezas que mudam tudo. Eu não seria a mesma sem o detalhe do meu guarda-chuva amarelo naqueles dias serenos e calmos, sem meus pezinhos pulando e adorando chover. Não seria a mesma sem os sonhos que cultivei com mãozinhas plantadoras e regadoras.


Sempre desejei ter um animalzinho na infância, mas não tive. O gatinho preto que me transformaria em uma bruxinha não apareceu. Mas hoje depois desses anos, tenho uma cachorrinha preta meio fada de mágica. Ela é doce, doce Tekinha, gosto quando estou lendo uma história mágica e ela vem se encostar em mim e adormece, ela é quentinha e macia, e sinto-me em uma floresta em outro tempo, e mesmo se está muito calor, lá fora de repente faz outono, chove em uma primavera fresquinha, com as chuvas da infância que bateram em meu guarda-chuva amarelo. De vez em quando usamos coroas de flores e sorrimos. Acho que sonho demais, já me disseram isso, preservo instantes serenos, e não tenho vergonha de me coroar em algum conto de fadas.

Percebo que meu coração precisa ter o guarda-chuva amarelo que já tive, mesmo que seja outro, e as galochas vermelhas que enfim terei. Antes pensava que era apenas uma falta algumas coisas não acontecerem no tempo que eu queria, hoje percebo que tantos lindos detalhes aconteceram, e se alguns não aconteceram, apenas foram preservados para outra data. Como o animalzinho mágico, como tudo que ainda preserva meu pequenino coração, para nunca se perder e viver sempre com porções de mágica, colocando um barquinho a navegar em uma enxurrada que leva para o reino das fadas, me colocando a voar nas florzinhas dente-de-leão, que me levará a ser passarinho nas nuvens. 

4 comentários:

Marthayza Ferreira disse...

Que lindo, Gaby! Precisamos mesmo aproveitar os pequenos prazeres e detalhes da vida. E ter sempre um bichinho por perto pra amar! <3

Tallita Monteiro disse...

Que fofura de ler, os detalhes marcantes que vivemos servem de alicerce para construção de grandes personalidades, muita doçura lhe cerca! bjs

Graça Pires disse...

Delicioso Gaby. É bom que guarde nos sonhos o guarda-chuva amarelo e as galochas vermelhas. É muito bom ter a Tekinha para lhe fazer companhia...
Uma boa semana.
Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

muito terno e delicioso de ler.
gostas muito dessa tekinha e ainda bem
beijinho
:)