terça-feira, 31 de março de 2015

Cheiro de maracujá



Daqueles dias serenos
ainda restou uma pontinha,
um leve cheirinho de maracujá
de algum verão,
de folhas ao vento,
de passarinho em seu ombro
para não esquecer a poesia.
Ela é assim,
veste em ti um vestido de mar
com partes de céu.
Coloca uma fita vermelha
em seus cabelos,
e coloca música no barulhinho
dos seus lábios abrindo sorriso.
Estarei aqui para quando voltar
com o mesmo barulhar suave do papel,
com a mesma poesia nas palmas das mãos.
Com esse cheirinho de maracujá
Com esse mesmo sonho
Tão fora do sono
Tão fora do tom.

9 comentários:

Jason Jr. disse...

☺Aroma de Maracujás. 😊

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Gosto de escrever
como se conversasse com alguém...
Alguém que existe ou existirá...
Alguém que eu procuro ou me procura...
Alguém que entenda a minha canção
e assovie a minha música
pelos caminhos...
Assim, entendo os teus versos,
e fico inebriado com a sua beleza...

Que a vida lhe traga a cada manhã,
o maravilhoso perfume da alegria...

Graça Pires disse...

Ainda cheira aqui a maracujá...
Um beijo e boa Páscoa.

Catarina Luna disse...

É verdade, Gaby! És sempre uma doçura, não és? Sinto uma vontade enorme de te dar um abraço de cada vez que visito o teu cantinho :)

Kelly Siqueira disse...

Coisa mais deliciosa de se ler,
Deu pra sentir aqui o cheirinho de maracujá!
De uma doçura e nostalgia inexplicável.
Adorei! Parabéns!

© Piedade Araújo Sol disse...

cheirinho de maracujá e palavras cheias de ternura.
beijinho
:)

Vanessa Palombo disse...

Aromas inesquecíveis...

Bjos

Luma Rosa disse...

Que doçura, Gaby!
Dias com cheirinho de maracujá, quem não os quer?
:)
Beijus,

Carmem Grinheiro disse...

"...com o mesmo barulhar suave do papel,
com a mesma poesia nas palmas das mãos." - ler-te é ler doçura que toma a forma de palavra (e desenho).

um bjn amg