Páginas

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Um barquinho a vela para navegar e voar



A menina andava pelas ruas, uma chuva havia caído e o chão estava cheio de folhas, flores e pétalas, e ela foi recolhendo do chão o que podia, às vezes parava e olhava tudo com delicadeza, se sentava debaixo de uma árvore para arrumar dentro de uma pequena cesta o que recolhia, quando chegasse em casa faria jardins e poesias com o que o vento levou.
Seus passos continuaram e chegaram perto de um pequeno lago, a menina pegou entre as mãos uma flor copo-de-leite que havia caído, uma folha bem grande e outro punhado de folhinhas, e fez um barquinho, um pequeno barco a vela de copo-de-leite. Como quem parte em uma grande aventura, ela colocou o barquinho no lago e o vento o fez seguir. Talvez ninguém fosse navegá-lo, provavelmente a próxima chuva o desmancharia, não chegaria longe o pobre barquinho de folhas, afundaria ou seria levado aos céus pelo próximo vento, transformando-se em um barco voador, lá nas nuvens, seria até bom ser um barco voador. Talvez um passarinho sentisse vontade de navegar e sentaria ali enquanto o lago levaria seu caminho e suas asas, e então o passarinho iria gostar tanto do barquinho a vela de copo-de-leite, que quando a chuva terminasse, ele o pegaria pelo bico e o levaria com suas asas ao céu, colocaria no topo de uma árvore onde faria um ninho, e ali os futuros passarinhos iriam pegá-lo para navegar no lago, como uma grande aventura, e levariam muitas vezes o barquinho aos céus, das folhas que caíram, da flor que se desprendeu, da menina que recolhia com carinho pensando em poesia.


10 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

palavras serenas e ternas num mundo de encantar...

:)

Catarina Luna disse...

obrigada, querida Gaby. és uma doçura, vejo isso nas tuas palavras :)

Washington Albuquerque disse...

Que doçura. De longe pareceu um ciclo, mas de fato soou como infinitas possibilidades *.*

Vanessa Palombo disse...

Doçura em cada palavra...

Bjos

Graça Pires disse...

A serenidade de cada palavra...
Um beijo.

Luma Rosa disse...

Oi, Gaby!
Quanta delicadeza em seu texto!
Me senti folha flutuando junto com o barquinho.
Boa semana!
Beijus,

Lucas - Blog: Overture disse...

Há mais de poesia num barquinho de copo-de-leite que em muita coisa neste mundo! Belo! Beijossssssss

Nilson Barcelli disse...

Uma história de encantar.
Gostei muito do teu texto, que é bastante poético.
Bom resto de semana, querida amiga Gaby.
Beijo.

Cecília Costa disse...

Que lindo o seu cantinho *-*

Além de super aconchegante, você escreve muito bem. Consigo entrar facilmente em cada detalhe dos escritos... É uma viagem linda! Parabéns!

Bjs,
http://cecisouza.blogspot.com.br/

Aline Teles disse...

Eu acho que não vou conhecer outra pessoa no mundo que escreva tão delicadamente como você. É muita sensibilidade em cada palavra. Parabéns! ADORO! Beijinhos.