quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Um baú pintado de céu


Um baú pintado de céu para guardar o que tem que ser guardado e que não pode ficar preso. Ao abrir que tenha estrelas pregadas na tampa, nem sempre lá dentro vai ser luz. Mas com cuidado de lá sempre sairá uma porção de palavras, de mágicas guardadas, um pouco da poeira dos tempos, das histórias que não esquecem, do cheiro de mingau igual ao dos ursos de uns dias atrás, do cheiro preferido da chuva batendo na grama. E lembrará o doce som do que um dia você disse:
- As flores dente-de-leão não morrem, elas voam.
E vai lembrar-se das folhas secas que recolheu do chão e colocou nos livros para virarem poesia. 

6 comentários:

BIA disse...

Com tanta guerra no mundo é bom ler essas doçuras, assim traz mais paz e harmonia para o universo Gaby! :)

Bjs

Vanessa Palombo disse...

Quanta doçura...!

Adoro passar por aqui, seus textos me inspiram ...

Bjs

Aline Teles disse...

Eu sempre saio do seu blog encantada e bem. Linda postagem. Beijinhos.

Washington Albuquerque disse...

ah sua suavidade <3 baú promissor, instiga-me até imaginar uma espiada dentro dele, se tanto descrito foi o que havia lá, imagina o que poderia haver doutro ponto de vista? palavras maravilhosas como sempre *.*

ps: tu falar do dentre de leão me lembrou aqueles matinhos bonitos e brancos, finíssimos que dizer sem anjos :d encontrarei uma foto e trarei para tu, acho que ficará melhor de compreender rs

isso aí
xoxoxoxo

Graça Pires disse...

Um encantamento, este baú...
Beijo.

Carmem Grinheiro disse...

Boa tarde Gaby,
um doce sua descrição desse baú, que dá vontade de ter um desses para mim.

bj amg