segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Escrito em cores de amanhecer

Há ainda um gosto de céu na boca
do último algodão-doce adormecido.
E um pássaro
onde o amanhecer faz morada,
com todo aquele azulzinho pálido nas penas
que abriga eternidades.
Já não quero mais perder o azul.
Não quero esquecer das últimas estrelas
de todo o amanhecer.
Levemente minhas mãos servirá para pousos
e voará.
Um dia a dor se apagará
em suave sopro.
Não sei mais no que acredito,
mas se minha esperança ainda resta,
deixo-a em cores de amanhecer
de algum céu.



7 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

e amanhã o céu ainda será mais azul.....

beijinho amigo

:)

Vanessa Palombo disse...

Nao há lugar melhor para deixar sua esperança....

Lindos versos como sempre...

Bjinhos

Catarina Luna disse...

que bonito, minha querida! as tuas palavras transmitem-me muita paz :)

Washington Albuquerque disse...

Oi querida *.* Devo dizer que sua criatividade sutil e delicada me encanta de uma forma anormal, e é sério, não costumo ler muito blogs de poesias, etc, mas aqui... Me sinto tão a vontade, um aconchego. Enfim, tu tem palavras doces e delicadas como pássaros e eles quase sempre estão presentes nas linhas ou nas entrelinhas. Amável.

Lindas palavras, meu bem, lindo texto.

Até mais <3
xoxo
*.*

Graça Pires disse...

Amanheceres cor de esperança.Muito belo.
Beijo.

Aline Teles disse...

Amanhecer é falar para vida, de forma indireta, que: "eu ainda estou aqui, com fé e esperança". Mais uma vez, tu escreveste um lindo texto. Beijos.

Jason Jr. disse...

Levando suas palavrinhas pra passear no meu céuzinho/cantinho Gaby.

http://jasonjrcajazeir.blogspot.com.br/2014/09/passeandando-por-ai-xc.html

Um ótimo Domingo e uma ótima semana!
:)