sábado, 24 de maio de 2014

Um sopro para acreditar


- O que acontece quando um passarinho morre?
- Porque você está me perguntando isso?
- É que eu fiquei triste hoje, vi na grama da pracinha um passarinho morto, ele estava deitado com os olhos fechadinhos, descansando a cabeça na grama e parecia que estava até sorrindo, parecia tão tranquilo, por um momento nem me pareceu morte, pareceu um sono muito sereno, só que eu sei que passarinhos não dormem no chão.
Parecia que ele estava até deitado nas nuvens. Mas depois eu fiquei triste pensando naquele passarinho, ele nunca mais vai voar e queria saber por que ele morreu e depois o que aconteceu.  
- Quando aconteceu, um soprinho saiu de dentro dele, um soprinho assim que é invisível, mas sabemos que existe porque também está dentro da gente. Esse soprinho de alma passarinho saiu levitando ao céu, e assim deitadinho como você o viu, ele deitou numa nuvenzinha lá do céu, essa nuvenzinha foi voando com ele por um tempo, pra ele ficar bem macio e se acostumar com o céu novo que ele iria morar, porque essas coisas precisam ser assim, para não se ficar assustado. Por isso que ele parecia estar deitado em nuvem, porque naquele momento ele devia estar nessa nuvenzinha.
- Puxa, e isso acontece com todos os passarinhos?
- Sim, acontece, porque os passarinhos têm corações pequenos e voadores, e não podem ficar sem levitar nessa nuvem ao irem embora daqui.
- E depois, aonde que ele chegou?
- Não sei ao certo, mas deve ser um grande céu de passarinhos, cheio de nuvens, azul, chuva fresca, plantas e árvores a se perderem de vista, ele deve ter chegado a um lugar assim.
- O soprinho ou o passarinho?
- O soprinho que se transformou em um passarinho mais uma vez, só que agora um pássaro mais leve, mais suave, parecido com vento, e bem eterno.
- Nossa! Será mesmo?
- Você não acredita?
- Eu quero muito acreditar nisso. Como se faz?
- Não sei também ao certo, mas é esse soprinho também no nosso coração que faz a gente acreditar, esse soprinho que a gente coloca a mão para escutar, e sente uma porção de esperança e fé.


8 comentários:

Alice disse...

Um soprinho de amor te ler.

Beijos soprados ao vento.

© Piedade Araújo Sol disse...

ternura que você coloca nos seus escritos, até nos que são nostálgicos...
boa semana.
beijo
:)

Catarina Luna disse...

não há palavras para tanta ternura, minha querida. um beijinho grande!

Vanessa Palombo disse...

Belo e terno...

Bjos

Lucas - Blog: Overture disse...

Sopros, pessoas e passarinhos têm tudo a ver. Pois todos somos sopros carregados por nuvenzinhas. Se há um céu de passarinhos? Como saber, sem sermos passarinhos? Mal sabemos do céu nosso, dos seres humanos! Mas importa ter cantado. Importa ter voado. Importa ter amado. Importa ter vivido. O mais, é a espera da nuvenzinha... e do sopro! Muito belo. Beijossssssss

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Este soprinho
que faz o coração
encontrar o seu sentido,
para mim,
chama-se alegria.
Como passarinho,
ele voa
e voa
e voa...
As vezes morre
pela falta da busca...
As vezes renasce
pelo milagre de um olhar...

Lindo texto.

Que por onde passarmos,
deixemos o desejo do reencontro...

Aline Teles disse...

Senti um lindo soprinho de fé em cada palavra do seu mágico texto. Tu escreves com muita ternura. Beijinhos.

Nega Flor disse...

Teu desenho é tão belo fada-flor. E teu escrito é tanta ternura, tanto carinho no coração da gente. Ler você é como receber um abraço de mãe, um colinho de vó, um cafuné. Amei!