terça-feira, 13 de agosto de 2013

Ternas Imaginações.


Sei que está triste, tem uma nuvem nos seus olhos, e eu acho que ela pode cair a qualquer momento, é só você apertar as pálpebras, ela vai se desmanchar e escapar dos seus olhos, vai sim, vai escapar e cair na terra, e caindo na terra quem sabe ela cai em um cantinho especial e nasça alguma plantinha, sei que podes dizer que de lágrimas não saem plantas, mas é que é a nuvem sabe? Ela está nos seus olhos, e deve ter entrado de algum um jeito. Você ficou olhando um dia inteiro para a chuva, pintando seus desenhos, você olhou e alguma nuvem daquele dia deve ter entrado ai, e nuvem aprisionada sempre escapa, o vento e as brisas existem, oh existem sim. E como abrigar uma nuvem inteira dentro dos olhos? Assim como se abriga estrelas! Já viu os olhos com estrelas? São um pisca-pisca. Olha-se para o céu e começa a pensar nas estrelas como regadores, que estranho pensar em estrelas assim, mas pensou nas pequenas estrelinhas regando luzes pisca-pisca no seu frágil coração no escuro. E o coração ficou como as estrelas e depois saiu voando feito vaga-lumes pisca-pisca.
Saiu voando procurando um lugar para pousar, e vaga-lumes quando passeiam é bom parar e ver, não se sabe quando verá outro novamente. Ele pousará onde se escute o som dos grilos e de uma cigarra cantando, dizem que é irritante, mas eu sempre gosto quando escuto uma cigarra, tem algo ali de uma beleza preciosa.
Sei que está triste, mas volte para a aquarela, ficou ainda um pouquinho de nuvem que pode derramar sobre a tinta. Vai pintar um céu, uma montanha, um sonho. Estará recebendo a visita dos seus amigos, o simpático ratinho leitor, o passarinho que nunca lhe abandona, que muitas vezes é azul, mas hoje apareceu de outra cor, o senhor coelho que adora o cheiro de chá.
Vai sempre receber uma visita bonita dentro do coração e se imaginar cheia de cores e histórias, enquanto repousar nuvens e estrelas com os olhos. Enquanto imaginar ainda e sempre todas essas pequenas coisas ternas.


5 comentários:

Zilani Célia disse...

OI GABY!
SABES QUE ADORO ESTE TEU MODO TERNO DE ESCREVER.
ASSIM COMO EM MEU ÚLTIMO POST LÁ NO "SÓ PRA DIZER", FALAS DAS ESTRELAS E DO QUANTO ELAS SÃO LINDAS E NOS INSPIRAM.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Zilani Célia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BIA disse...

A ternura torna tudo melhor, transformando os momentos difíceis em aprendizado, levando doçura ao invés de amargura. Lindo Gaby!!!

Bjs :)

*Escritora de Artes* disse...

Pura ternura...

Bjos

© Piedade Araújo Sol disse...

um modo ternurento de escrever estórias de encantar.

boa semana.

beijo

:)