quarta-feira, 6 de março de 2013

Trajeto.




E dos encantos imensos,
Brotam-me flores nas mãos
Para acalmar os vazios,
As dores,
Os olhos cheios de águas.
Da mansidão e imensidão que caem no coração,
Existem pequenas felicidades,
Um gosto de plenitude.
No meio de todos esses trajetos perdidos,
Há flutuações nos pés,
Que cantam uma canção mágica, leve e terna.
Escuto, adormeço, sonho…
Continuo,
E ainda tem tanto poema.

Um comentário:

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

En medio de ese trayecto perdido aún hay fluctuaciones en los pies. Trayectos llenos de Magia y, también, angustias...¡¡¡Preciosa Entrada!!!
Abraços e beijos.