Páginas

quarta-feira, 20 de março de 2013

Gratidão de Outono.



A primavera que esperava o outono com gratidão. Sei dizer dos seus gestos, que sabe desfolhar, aprendera isso bem lá no fundo do coração e nos dias de outono, em que escapa ainda aqui e ali várias flores, onde as folhas no chão são tão belas, que mal se sabe das calçadas. Onde o tom alaranjado, as cores em marrom, avermelhadas, fazem sinfonia aos suspiros. Que espera bonita era aquela para os dias de ventinhos mais frios, onde os entardeceres tingem nossos cabelos de pôr-do-sol.  Onde as noites pingam estrelas e nos faz preparar para o próximo dia roupas mais quentinhas. E o outono chegava, e as árvores começavam a jogar a primeira chuva de folhas, a música se espalhava em instrumentos e cantos de passarinhos. Receber o outono nos olhos, nos sentimentos, nos sonhos, nas histórias, nas cartas. Ficava tão grata, tão grata! O outono magicamente não se compõe somente de perdas. 

6 comentários:

Bruna Gabriela disse...

O outono joga fora as folhas velhas, para que as árvores possam florescer verdinhas na nova primavera.

Assim deveria ser a vida.

Mateus Medina disse...

Há quem tenha medo do outono e há quem o encare com essa beleza que ele tem...

Muito bom.

Bjos

© Piedade Araújo Sol disse...

querida Gaby
todas as estações tem a sua beleza.
assim é também para a idade.
uma ternura de texto.
um beijinho
bom fim de semana.

Rodrigo Moura disse...

"O outono magicamente não se compõe somente de perdas". Belo texto. Parabéns Gaby.

Lucian Rodrigues Cardoso disse...

Quanta magia e sensibilidade em seu outono!Admirei seu blog! Sigo-te e, se puder, dê uma passada no meu modesto canto! Abraços!

Alice disse...

os olhos, especialmente os meus, deveriam saber melhor outonar, deveriam saber perder de vista o que não se pode ter, o que não se pode ser, sem deixar eu me afogar, sem chover tanto o mundo.

no outono de suas palavras a gente só ganha.

beijos minha flor!