Páginas

sábado, 23 de fevereiro de 2013

A estrela do para sempre.



As estrelas chegavam, meio adormecidas, meio acordadas, e seus olhos paravam estrelas. Paravam constelações, estrelas miúdas, estrelas grandes, estrelas cadentes, estrelas branquinhas, estrelas prateadas, estrelas douradas, parava o azul anil do céu bordado de estrelas. Caminhou até o campo para parar estrelas com o olhar, e depois dos pingos nos olhos, soltá-las de volta aos céus, onde as estrelas moram. Há de se ter um pouco de mágica para parar estrelas, a luz delas caminham como nuvens, estrelas-nuvens. Há de se ter mágica para levar estrelas no coração e deixá-las no escuro da noite. E o sono chegou em seus pálpebras, adormeceu ali mesmo, no campo, na grama, embaixo do céu de estrelas. A noite se perfumou de flores do campo, que chegavam até no céu, brotando estrelas flores. E quando acordasse viria que uma estrela, com uma florzinha brilhante, estaria do seu lado. Para sempre. 

7 comentários:

*Escritora de Artes* disse...

Lindas estrelas...

Bjos

Brunna Silva disse...

Que texto mais delicia de se ler. Tenho um apego grande com a noite, estrelas e principalmente a Lua, e ver um deles protagonizando o teu texto, me fez bem.

"Há de se ter mágica para levar estrelas no coração e deixá-las no escuro da noite."

Maravilhoso!

Beijos ;*

© Piedade Araújo Sol disse...

tanta ternura neste texto

beijo

:)

Mateus Medina disse...

Que lindo!

Hoje a noite hei de tentar parar uma estrela...

bjos

BIA disse...

Simplesmente lindo Gaby!!! Tão doce sua inspiração, sempre bom ler seus escritos!!!
Bjs :)

(\)_(\)
(=' :')
('')('')

Camila disse...

Bem Bonito :)

Denise Portes disse...

Gaby,
Esse texto traduz toda a doçura da sua alma.
Beijos
Denise