quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Aquarela de Chuva.



Peguei em uma caneca
A água da chuva,
Para aquarelar um desenho.
Comecei a pintar o vaso,
As flores,
O regador.
De repente começou a chover no papel,
Aguando toda cor,
Todo o desenho que tinha feito.

Eu peguei a água da chuva
Em uma caneca,
Para molhar os pincéis
E na tinta aquarela passar e pintar.
A chuva quis chover também
No papel.
E quanto mais eu pintava,
Mais chovia
Como mágica.

E formou-se um vento nas gotas,
Uma flor saiu voando e caiu
Perto do vaso.
O regador vazio se encheu de água,
As flores molhadas ficaram
E os pingos espirravam no chão.
Logo o reflexo do que eu desenhava
Brotava no chão molhado
Da chuva que passava.
Da chuva que ficava.

E achei tão bonito
Ter um desenho
Todo cheio de água de chuva
Chovendo.

15 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

que ternura

um poema muito belo

beijo

Pedro Luis López Pérez disse...

Una imagen bellísima y un Poema lleno de Encanto y Ternura.
Una maravilla.
Un abrazo.

Alice disse...

Essa aquarela sua fica sendo a minha preferida. De chuva em mim chovendo.

Um beijo.

REINVENTANDO disse...

Olá Gaby!! Passando para conhecer seu blog e que lindo texto..aliás seu blog é tão mimoso e delicado. Parabéns pelo blog, já estou te seguindo. Abraços. Sandra

Morgan Nascimento disse...

Olá, parabéns pelo blog!
Se você puder visite este blog:
http://morgannascimento.blogspot.com.br/
Obrigado pela atenção

BIA disse...

Da chuva que passava. Da chuva que ficava, podemos aplicar na vida essas sábias e belas palavras!!!
Bom dia Gaby!!!
Bjs :)

*Escritora de Artes* disse...

Olá querida Gaby,

Que lindo, a aquarela de chuva virou uma suave poesia...

Bjos

Denise Portes disse...

Gaby,
Eu sinto o mesmo, lindo e doce ter você,suas palavras e a forma meiga com que transforma sentimentos em poesia.
Beijos
Denise

Jeff disse...

Poema gostoso de ler....=)
É de uma delicadeza infantil eu diria, muito bacana!

Abraços!

Fred Caju disse...

Sempre bem, moça.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

E chovendo
sobre o coração,
fazendo nascer
as sementes
da alegria
que adormecem
em nossas vidas...

Para cada dia,
um novo sonho...

~๋٠Nizer ಌ disse...

Que lindo!
Amo seus poemas!
Me fez sorrir :D



Muito obrigada por comentar em meu blog

Se você gosta de unicórnios (ou não) visite:
http://www.flightsanddreams.com/

Holostasis disse...

espero... na verdade comecei a escrever pensando em expectativas quanto a sua leitura e já me vejo [microsegundos após] que não devo esperar nada; uma leitura sem dono, ladrando o silo das latas vazias, reencontrada em alguém que também perdeu algo para um outro, desavisado, que busca a mesma [outra] perda, nesta desintonia que é viver buscando frequencias.


ladylake becomming gaby by ramonlvdiaz


gaby soncini's able to sense any sound
of every anny, lily and ellis's islands
of quasi-magical songs and seismic days
trough rainfall drops on sergeant paper's
aquarela tudo que for gabriela...

ladylake liquefaz em íris todos os arcos
e tudo que tange as pedras em beatriz na
mediatriz de todos os caminhos e runas que
abrangem alquimias e encantamentos celtas
with crimson flames and avalon...

so she embrace linim dressin' imaginary velvet moons
against unnatural deserts and too much quotidian that's
only quo status without possible and secret gardens
and all those centennial lifes becomming alpha-centauri
alcançando o ômega pelo carinho...

teu quinto elemento acolhe mulheres sôfregas
que se doeram opacas no inorganismo do mundo
e as pupilas gastas na espera por surpresas,
colares de opala dados por fadas polivantes
with stardust of same polen...

gaby não espere o sol: invente os instrumentos
e altitudes impossíveis, incalculáveis irmãos
nas estrelas que despontam tímidas em noturnas
porções enfraquecidas de lua e homeopatia que
adormecem a luz maior do espaço que nem chega
lá fora[como se aqui dentro fosse eu personalíssimo]
porque tu ouve a luz que repercute sons que escapam
da proximidade e vazam com nomes indescritíveis que
condensam pessoas nada sintáticas mas sim sônicas.


[30/10/2012, Paraty]

sugestão musical: Clint Mansell - Xibalba

[holostasis.blogspot.com]

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

fantástico!
leve e delicioso texto...

Marina. disse...

Tão leve... Tão doce!
Sua cara, Gaby!