Páginas

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Poema de Fada.


Quando pequena em um anoitecer
todo cheio de estrelas miudinhas,
minha mãe me deu um colar de fada,
uma cordinha segurava a fadinha
toda cor de estrela brilhante.
Ela me disse e eu escuto a sua voz
como se falasse agorinha mesmo
nesse instante assim perto de mim,
que quando eu me distraísse
ou quando não estivesse perto
a fadinha ganhava vida e voava
por tantos cantinhos,
e voltava para meu colar.
Sempre tentei ver a fada saindo e voando,
mas nunca consegui, como poderia também?
Minha mãe me disse que era só na distração
e quando eu não estivesse perto.
Continuo acreditando até hoje nisso
como em todas as outras histórias
cheias de mágica,
como se elas fossem motivo maior
para meus pés continuarem a andar.
Ficava pensando também
porque a fada haveria de voltar para o colar
se poderia tão no céu voar?
Talvez a fadinha gostasse muito de mim.
Mas eu perdi esse colar,
não sei quando, não sei onde,
não é tudo que os olhos de criança conseguem lembrar!
Na falta da lembrança, eu coloco minha imaginação
para contar.
Perdi quando me distrai tanto e tanto,
a fada se colocou a voar,
mas eu voltei tão rápido que não deu tempo
dela voltar!
Mas ela não ficou triste não,
foi morar com amigas fadas lá perto do mar
onde as estrelas se refletem nas águas.
E eu também não fiquei triste,
embora a saudade do colar sempre venha a falar,
eu fico alegre de acreditar que a fadinha está voando
com suas amigas.
E fico alegre de ter até hoje as palavras de minha mãe,
e as histórias mágicas como a do colar
bem plantadinhas no meu coração.

5 comentários:

ricardo alves disse...

fantástica lembrança!
que mundo incrível vc constroe neste blog!
parabéns...

Jeff disse...

Que poema mais gostoso de ler. Uma boa pitada de infância e em sua magia!!

Abraços!

*Escritora de Artes* disse...

Olá Gaby,

Mais um texto que me fez viajar...

Lindo poema de fada....lindo...

Bjos

BIA disse...

Que lindo post e palavras!!! O mundo seria mais bonito se existissem fadas de verdade.
Bjs :)

Você em Pauta disse...

Suas palavras sao pontes que nos levam para nossa infancia, para nossa essencia. Lá onde nossos sonhos sao maiores que nossa realidade....
Peter Pan estava certo em nao querer crescer. Ser criança sempre. Pelo menos nos sonhos...