Páginas

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Vila dos duendes, 05 de julho de algum ano


Guilherme,

É uma manhã chuvosa, e o friozinho que está fazendo me faz tirar da gaveta minhas roupas quentes, peguei um suéter verde hoje que ganhei de presente de aniversário da sua mãe, me bateu uma grande saudade daquele tempo em que éramos dois duendes pequenos (tudo bem que nem crescemos tanto assim), daquele tempo que você morava perto, que seus pais e os meus viviam reclamando das nossas travessuras pela floresta do vale, dos suéteres que sua mãe fazia para nós dois nos dias frios e dos gorros, só não gostava dos vermelhos, eles sempre fazem com que sejamos confundidos com os gnomos de jardins.
Escrevo nesse frio que chega até a me aquecer, para ter notícias e histórias de como andam as coisas pelo vilarejo que hoje mora, como anda o trabalho na plantação de batatinhas mágicas? Sempre fico curioso para um dia experimentar uma e ver que pensamento mágico vai brotar dentro de mim. É engraçado nós, que somos considerados seres mágicos, nos perguntarmos por pensamentos mágicos não é?
Meus pais estão viajando, foram visitar os duendes do vilarejo da praia, é bem longe, dizem que lá ainda não está frio, está quente, porém um dia o frio deve chegar por lá, é bom saber que nada vai ficar frio ou quente eternamente.
Sua mãe anda fazendo suéteres? Se estiver gostaria de receber um novo, diga a ela, a seu pai e a sua irmã que mando para todos minhas saudações.
Vou ficando por aqui com a carta, coloquei a chaleira para ferver e ela já está fazendo aquele barulho dizendo “já deu o tempo”. Que bom seria que estivesse aqui, assim poderíamos tomar café e chá juntos, e sair fazendo nossas travessuras comportadas como antes, ou diferente já que somos tanto como antes como somos agora. Mas seria bom ter a certeza de saber que se está crescendo, e ainda assim pequenos para gostar de ganhar suéteres e correr pela floresta do vale.

Um abraço do seu amigo Heitor.

5 comentários:

Patricia Thomaz disse...

Muito bom. Viajei num mundo tão bonito. Suas palavras me fizeram bem.
beijinhos.

Laís Sandrigo disse...

Que coisa mais encantadora! É a palavra perfeita pra descrever esse texto. <3

*Escritora de Artes* disse...

Oi Gaby,

Que carta mais linda, cheia de saudades e sentimentos, sempre viajo a um mundo encantado quando leio seus textos, que pra mim são perfeitos.

Bjos no seu coração querida amiga poetisa...

AquilesMarchel disse...

que mundo bonito cara
adorei
sutileza e fantasia
otima surpresa te ler garota

Néia Lambert disse...

Um texto onde a fantasia ensina!

Beijos