Páginas

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Espelhar.


Por um instante
o céu se fez na água também,
no lago que olhava
quando procurava pelo seu próprio coração.
O céu se grudou ali,
e não era só um espelho,
a luz do céu ficou ali,
e não era só um reflexo.
Colocou suas mãos na água
e teve por um momento
o céu nas palmas das mãos,
um céu todo feito de luz.
Se mergulhasse ali,
o que encontraria,
peixes ou pássaros?
Onde estaria afinal,
em um céu de nuvens e asas,
ou em um céu de nadadeiras e águas?
Por um instante
o céu se fez água,
e se fazia tão ali naquele lago,
e se fazia também nas águas do seu coração.

4 comentários:

*Escritora de Artes* disse...

Simplesmente mágico....

Mergulhei nos seus escritos, só nao tenho certeza se nadei ou voei em cada palavra....

Bjos querida amiga

Néia Lambert disse...

Gaby, ainda bem que você transforma sua sensibilidade em palavras, seus leitores agradecem. Amei o poema!

Beijos

Alice disse...

Você é leveza, tudo em volta flutua quando passas. ♥

Alexandre Pitta Guedes disse...

Imaginei um final bem triste... inspirou ;)