segunda-feira, 12 de março de 2012

Mansidão.


Deixo levar mansamente
como uma gotinha
deslizando por uma pétala,
por uma folha.
Entre um suspiro de nuvem
e um suspiro de estrela,
quando estas se encontram
juntinhas no céu.
O que alivia os dias ruins,
são as certezas dos amanhãs.
O que alivia a falta de música,
é o silêncio musicado dos dias.
O que consola do sol quente,
é o céu que se faz nublado
em seus intervalos.
Deixo sentir mansamente
como um pássaro sente um canto,
assim brota sempre algum encanto
dentro de mim.
Deixo seguir mansamente, quem sabe um dia
tudo se alivia,
na minha luta silenciosa.
Pois a minha coragem de ser,
ainda não conseguiu ser grito.

7 comentários:

@ Escritora disse...

Tudo o que sinto já foi dito...

Deixo seguir mansamente, quem sabe um dia
tudo se alivia,
na minha luta silenciosa.
Pois a minha coragem de ser,
ainda não conseguiu ser grito.


Bjos

Eduardo Trindade disse...

"Let it be, let it be"...

Alexandre Pitta Guedes disse...

Wow! Muito bom, Gaby! :D

(na 3ª linha está escrito 'pélata' ^^)

Bruna Gabriela disse...

Que venham mais dias mansos,
depois de noites agitada...

Lindo post.

Kamila Behling disse...

Não me canso de dizer que aqui é encantador.

GABI, TU É UMA LINDA!

Alice disse...

Experimenta também ser grito, Gaby. Às vezes pode ser bem revelador de nós.

Beijo com cheiro de céu, o teu. (:

Iasminne Fortes disse...

"O que alivia os dias ruins,
são as certezas dos amanhãs."

Ás vezes a certeza do amanhã também dói. Mas é tão bom quando se tem a esperança de algo melhor nos dias que virão. E, confesso, muitas vezes sou grito.

Beijos, linda!