segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Exercício de Magia.


Gostava de imaginar que aquele balanço era mágico, pensar que as coisas todas fossem mágicas era um exercício bonito de todos os dias, lhe dava uma sensação de mil pássaros e borboletas a puxando pelas mãos, pelo coração.

Começara o exercício desde que era um toquinho de gente, sua avó lhe deixará no jardim, e viu uma borboleta e uma joaninha perto uma da outra, a borboleta estava com as asas machucadas e a joaninha estava com as perninhas, “pobrezinhas, estão dodóis, como as pessoas ficam” pensou ela. Mas para sua grande surpresa, as duas voltaram a voar e a andar em um tempinho. Era mágica, e desde então tudo que olhava botava uma explicação mágica.
Cresceu um pouquinho e continuou com o exercício sereno, assim a vida ficava mais fácil e mais bonita para acreditar, definitivamente não dava para acreditar na vida sem um pouquinho de magia, as pessoas que diziam que não havia magia, não acreditavam na vida.
Um dia achou o balanço na árvore solitária, a chamou assim não porque gostava da palavra “solitária”, achava bem triste, mas assim era a árvore distante das outras, parecia solitária de tudo, pássaros, flores, folhas, e viu o balanço de cordas gastas também tão sozinho, parecia que ninguém balançava ali havia muito tempo.
Pensou que aquele lugar estava sem mágica, e começou a arrumar o balanço, deu cordas novas a ele, um novo pedaço de madeira, e o rodeou de flores. E assim começou a se balançar, a ler perto da árvore, e aos poucos seu balançar mágico deu vida novamente para a árvore, que recebeu mais pássaros, borboletas, até coelhos, um dia chegou um coelho com uma flor agradecendo a menina, "magia!" Foi só o que conseguiu pensar.
O balanço mágico virou seu lugar em segredo e encanto, apesar de achar que o balanço havia dado novamente vida para a árvore, não o foi, foi ela que não suportou ver uma árvore sozinha sem passarinhos, com um balanço quebrado sem ninguém para balançar.
E o exercício da magia continuou, acreditando nas magias de fora, e fazendo descobertas das magias que moram dentro, e que se pode construir e criar. O exercício da magia sempre continua.

8 comentários:

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

E nesta magia
a vida se renova,
se balança nos ventos
da alegria,
e encontra
o seus maravilhosos
sentidos...

Que sempre existam
sonhos a habitar teu coração.

@ Escritora disse...

Que lindo, a magia solta pelo ar...
Fantástico!

Bjos

Bruna Gabriela disse...

a magia nos faz sonhar...

Lindo texto!
Parabéns

Nina disse...

Oi Gaby...
Lindo post...Devemos sempre exercitar a magia...Adorei! Sou a gatinha da Sandra do Meu Cantinho no Japão ..Venha conhecer o Denguinho da Nina...
Nyan nyan
Nina

Denise Portes disse...

Gaby,
É essa a magia que alimenta a minha alma.
Um beijo
Denise

Denise Portes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A.S. disse...

Gaby,

Há silêncios que gritam!...


Beijos,
AL

AC disse...

Há magias que são como um semear de flores por onde passamos. Assim é a dessa menina.

Beijo :)