terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Poesia de dentro, sempre.


- E agora, o que faço sabendo que já fui tomada inteiramente pela poesia?
- Suspira os versos, feito sopro de chuva, suspira os versos, de dentro e fora do coração, suspira os versos, assopra, viva, nasce, renasce...abraça os versos.

2 comentários:

Alice disse...

E faz-se inteira a cada novo ponto. Lindo!

Beijos, flor.

Felicidade Clandestina disse...

a poesia que (re)nasce.
sempre.