Páginas

sábado, 5 de novembro de 2011

Pregando Estrelas.

Pregava estrelas na varanda
Para acender a noite e brilhar com mais estrelas,
No céu do dia, no céu do amanhecer.
Pregava estrelas na varanda para acender,
Com todo o cuidado algo no coração.
E o susto foi suave quando viu pregando as estrelas,
No pequeno céu da varanda,
No pequeno céu que não anda.
A cena virou poema,
Com vontade de ser serena.
De ser plena.
Não é sempre que se pode ter
Estrelas de noite,
Estrelas de dia.
O momento virou poema,
Com medo de se anoitecer.

6 comentários:

AC disse...

Gaby,
Só o poeta tem o condão de pregar estrelas...
Belo!

Beijo :)

Leonardo B. disse...

[infinita a estrela que não haverá de cair,

já tomada pela palavra, pele do céu]

um abraço, Gaby

Leonardo B.

Denise Portes disse...

Gaby,
Tão lindo seu poema, encheu de estrelas o meu coração.
Um beijo
Denise

Fred Caju disse...

A mesma mania de querer o que é impossível, de fazer o possível.

Alexandre Pitta Guedes disse...

Que doce :)

Mariana disse...

Você é mesmo incrivel né. Como pode, tão simples e tão linda.