terça-feira, 4 de outubro de 2011

Do ato de semear.

Eu acredito que o importante é semear, plantar sementes com todo o cuidado e carinho, plantar tudo aquilo que a gente mais acredita que faz morada dentro de nós. Se essas sementinhas florescerem no coração do outro, é sinal de que somos bons jardineiros.
Caso aconteça o contrário, e elas fiquem sem a tentativa do desabrochar, não é que deixamos de ser bons jardineiros, no fundo somos jardineiros cuidadosos sim, mas tudo tem um tempo certo para brotar, nós nos corações dos outros também.
Em todos os cantinhos de momentos, há uma poesia prestes a se abrir, às vezes não depende só de nossa palavra, de nossa tessitura de versos, mas do coração do outro preparado para nos ler.
Do coração do outro preparado para desabrochar o que tão carinhosamente plantamos.

2 comentários:

Del disse...

Adoro como escreve,, é de uma sensibilidade extrema.. me passe seu MSN para mantermos contato.. Beijo

Jeff disse...

Rsrsrs...Adorei o texto, mas acho importante dizer, que quando escrevemos, semeamos letras,e bem como o vento balança as árvores, o leitor balança nossas letras e constroem uma imagem diferente daquilo que o texto foi. Acredito que seja uma plantação conjunta, semeamos, aguamos e juntos vemos crescer!

;)

P.S: A imagem do início me provoca...há algo de misterioso nela!