Páginas

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Depois do Sono,


Existem vaga-lumes voando essa noite, eles sobem um pouquinho mais ao céu e me lembram estrelas, existe uma coruja que olha atentamente para mim como se me pedisse com o olhar que eu escrevesse uma história relatando sobre o que ela vê, e seria o mesmo que eu consigo ver? Fico esperando até o céu se tingir de azul celeste pela manhã, e quando ela chega fico olhando aquele passarinho, aquele do telhado que tem receio de descer e se juntar a mim, fica por lá cantando e no fundo eu e ele sabemos que essa distância é mais doce. E no momento que me perco sobre pensamentos, o sol vai nascendo atrás das casas, as poucas estrelas que restam no céu vão ficando cada vez mais apagadas, e a lua vai entregando o dia para o sol , enquanto as palavras em meu coração tingem minhas mãos de guache, passo elas pelo meu rosto manchando de tinta a pele, os cabelos, o olhar, e assim nascem desenhos. Desenhos que criei depois do sono.

E fico pedindo no silêncio de mim, olhando uma nuvem que dança a canção do vento. Fico pedindo para aqueles que desde pequena escuto falar que moram no céu, fico pedindo para eles de asas protetoras que esses pequenos e bonitos interiores renasçam, seja de noite, seja de dia, seja sempre. Seja no sono, no sonho, e principalmente depois do sono.

4 comentários:

Rute Vieira disse...

quando o sol nasce lá fora é pq ele já nasceu dentro de nós. e é tão bom a gente poder sonhar a qualquer hora, no meio do dia, sem precisar dormir...
que doce, Gaby! que doce!
beijo no ombro,
Rute Vieira

Pri C. Figueira disse...

Seus textos têm o dom de nos transportar a imaginação, sonhar em meio as letras... :)
É tão bom!

Lindo, lindo!

Bjs

Halifas Quaresma disse...

"enquanto as palavras em meu coração tingem minhas mãos de guache, passo elas pelo meu rosto manchando de tinta a pele, os cabelos, o olhar, e assim nascem desenhos. Desenhos que criei depois do sono"


Desse teu sorriso sai cada coisa linda.

Beijos minha linda.

Alice disse...

Essa semana enquanto almoçava um passarinho pousou na janela e voou. Eu quis tanto ir com ele, mas não deu tempo. Só no sono, só no sonho.

Gaby linda!