Páginas

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Levezas de céu.


Vejo tanta leveza quando caminho e olho para o céu, é de uma leveza macia o grande delineador do mundo, coloca dentro de mim sempre um sonho bom, daqueles que a gente sonha com macieza de algodão de nuvens, daqueles que a gente vê todos os fragmentos da simplicidade, daqueles em que sentimos todas as cores na ponta dos dedos, como se pudesse colorir céu.
Acordo desejando as levezas de céu, para me fazer leve, fazer leves estes meus caminhos, por mais que doa aqui e ali, por mais que pese em muitos dias, mas leve.
Mais leve que pesado, sempre mais leve.

Que sejas todas levezas,
partes constantes do meu ser,
Levezas, leves, levadas...
Sempre voltam adocicadas,
No céu meu.

Um comentário:

Halifas Quaresma disse...

E sempre irão voltar...

Basta abrir os braços e se deixar levar por elas.

Beijos, Gaby.