Páginas

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Aprendendo a gostar de Ágata - Parte III

Depois da noite de histórias na casa de Ágata, não se falava de outro assunto nas proximidades, tantas histórias foram contadas, descobertas, compartilhadas, todos estavam felizes. A Joaninha estava tranquila aquele dia em cima de uma folha, tinha conversado com algumas formigas que lá passavam, a Borboleta Stéphenie voava pelo jardim e logo a viu.

- Como está? – perguntou a borboleta pousando suavemente em uma violeta.

- Estou muito bem, com tantas histórias na minha mente – disse a Joaninha sorridente.

Benjamin vinha chegando como sempre acompanhando de seu bom e velho mau humor, por mais que todos estivessem felizes perto dele e querendo compartilhar, não tinha jeito. Ele caminhava ao encontro delas carregando uma cesta com algumas folhas pelo braço.

- Olá Benjamin! – saudou-o Stéphenie muito alegre.

- Olá – respondeu ele sem muita animação. Talvez é até certo falar que Benjamin não gostava muito de quem voava, mas não, esse era mesmo o jeito do gnomo, ou talvez será? Nem todos os gnomos são assim, a família mesmo de Benjamin adoram fadas, adoram conversar, e mau humor com eles é só de vez em quando.

- Quando deixará de lado esse seu jeito? Porque não tenta gostar de Ágata?

- Puxa vida, até você Stéphenie, primeiro essa Joaninha amorosa, depois foi aquele vaga-lume chato, e agora a Borboleta radiante e colorida me dizendo para gostar da fada Ágata, desse jeito eu não vou suportar – disse tudo muito irritado.

- Não esquenta, ele é assim todos os dias – disse a Joaninha.

A borboleta com um voo leve retirou-se do jardim, iria encontrar algumas amigas naquele dia, e a Joaninha tinha marcado uma visita na extremidade do jardim com um de seus amigos, saiu prometendo a Benjamin que logo voltava, afinal apesar do jeito dele todos gostavam e o queriam muito bem.

O gnomo começou a se sentir sozinho, começava a se perguntar o porquê daquele sentimento, sempre conversava com todos ali, embora com seu jeito ranzinza, será que o fato de conversar é ter amizades? Ele suspirou e arrumou suas folhas como de costume para fazer uma cadeira, sempre se colocará distante de todos, mas sempre todos tentavam se colocar perto dele, e desde que a fada Ágata tinha se mudado para perto ele se sentia cada vez mais fora da roda. Afinal o que tinha nela que tanto o incomodava?

- Olá!

Ao escutar a voz, Benjamin virou-se, e ali no seu jardim a fada brilhante estava, os olhos dele brilharam junto com aquelas luzes, seu coração palpitava, mas sua mente dizia “Que fada exibida”.


Parte I - http://uma-doce-melodia.blogspot.com/2010/12/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html

Parte II - http://uma-doce-melodia.blogspot.com/2011/01/aprendendo-gostar-de-agata-parte-ii.html


2 comentários:

Lívia Inácio disse...

Obrigada por nos conduzir a esse mundo mágico!

Estou adorando.

beijinho*

Kamila disse...

Gabinha, é tão bom passar por aqui...

Uma semana de luz pra ti, e um beijo doce na testa!
Fica com DEUS