quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A Folha.


Uma folhinha encontrava-se numa árvore. Numa tarde de outono em que o vento balançava e o céu começava a ficar nublado, a folhinha desprendeu-se do galho que a segurava e saiu rodopiando pelo ar, numa janela próxima da árvore um livro estava aberto numa página, ali a folha pousou. Quando a primeira gota de chuva caiu, a menina correu pegou o livro e o fechou, e dentro dele a folhinha ficou. Na sua nova moradia ela começou a navegar pelas histórias, a folha que morou numa árvore, conheceu os pássaros, as borboletas, as gotas de chuva, as estrelas e nuvens, agora viajava para dentro dos livros como uma folha de outono seca, mas muito bela e muito viva.Caminhando pelas linhas sentia saudade da árvore embora feliz de viver tantas histórias. Um dia a menina colocou um novo livro na janela, a folha já estava dentro dele nas páginas fechadas, porém, ficou com os olhos para fora, olhou ali as novas folhas na árvore se mexendo.Seus olhos cheios de lágrimas disse um olá pra elas que retribuíram e balançaram mais, um tempo olhando, um tempo relembrando, vida que passou e vida que ficou, saudade da árvore, aventura dentro dos livros.

9 comentários:

Vivendo na Eternidade disse...

Sabe, acreditamos que a maior magia que as palavras possuem é exatamente o que você nos fez sentir nesse simples, porém elegante texto. Ao descrever a forma como a folha se movimenta ao voar até o livro, você consegue fazer com que seu leitor idealize toda essa situação, que use sua imaginação em prol da história a ser contada por você.
E isso, Gaby, você faz com maestria.
Parabéns por colher momentos do seu dia e descrevê-los aqui, para todos.
Porque tamanha sensibilidade só pode residir em momentos reais, onde pessoas reais o enxergam.

Grande abraços,

Alice/Carter.

bia martins disse...

Oi flor...
que en-cantinho!
Adorei o texto.
Sensibilidade é pra quem merece.
Um bjo meu!

Alice disse...

Quando você põe o sensível no papel, agente sente todas as palavras voando menina.


Beeeijo Gaaby!

Andrea de Godoy Neto disse...

Gaby, fiquei tão, tão, mas tão feliz em te ver no meu blog...porque sempre venho aqui visitar o teu. Sempre que preciso reafirmar a minha crença na magia, no encantamento, porque é assim que eu vejo você, uma pessoa encantada.
Para mim, você é uma fada, que se vestiu de gente para nos mostrar que o mundo ainda é encantado.
um beijo grande

Iasminne Fortes disse...

ohh Gabi que texto mais doce. Nossa!
E sempre que leio algo que fale em saudade meus olhos enchem de lágrima.. e misturando com as histórias que encontramos em livros, aí é impossível não me identificar. Adoro teus contos, flor!

beijão =*

pensador made in vaso disse...

gostei muito. poético a dá gosto...
abraços libertários

Thais Michele disse...

Lindo amiga, como sempre cheia de sensibilidade e encantos!
Sempre levando as pessoas a despertarem sua imaginação.
beijos

Filipe Garcia disse...

Oi Gaby,

peguei algo bonito do seu texto: isso de sermos "folha de árvore" que deseja muito ser "folha de um livro". Nossa insatisfação constante nos faz querer outros mundos, outras histórias, outras aventuras. Depois, ao percebermos que o "novo" não carrega tanto de nós, lembramos com saudade da ávores, da "folha" que éramos. E desejamos o passado, como se lá sempre tivesse havido a felicidade.

Um beijo.

Rá ~° disse...

Tão doce Gagy! *.*

beijo Grandee

:)