Páginas

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Florida.


As flores que balançam ali
Tão rosas no nublado céu
Um dia de repente irão cair
Cobrir todo o chão fazendo um véu.

Tão delicadas desabrochando
Enfeitando os galhos agora
De modo tão lindo brilhando
Nem estavam ali outrora.

Tantas pétalas suaves
Vão caindo rodopiando
Imitando as belas aves
No céu planando.

As flores que balançavam ali
Foram voando no vento
Outras acabando de se abrir
Para enfeitar outro momento.

Um dia irão se conhecer
Por um breve instante
Num grande amanhecer
De um sonho adiante.

7 comentários:

Canteiro Pessoal disse...

Gaby. É sempre um bálsamo voejar por aqui. Sua delicadeza revela intensa paixão em cada letra que exprime o surreal. Há amor nas palavras que aqui encontro e constato: 'o amor é equlíbrio que sustenta o mundo em fios invisíveis'. Saio deste pouso no desejante por mais trilhar neste fio que aquece e sobrepõe a razão.

.Beijos mil linda!

Priscila Cáliga

Jairo Souza disse...

Adorei a poesia sobre as flores Gaby! Mas pra vc não precisam ser flores vc encherga poesia e melodia em tudo!! Abçs!

pensador made in vaso disse...

fazia tempo q não passava por suas letras. saudades da poesia tua. Lindo poema.
abraços libertários

Fabiana disse...

Imagem linda!
Me fez lembrar uma frase que adoro:
É que flores diferentes vivem juntas...

Thais Michele disse...

lindo.

felipe disse...

De maissssssssssssss "Emocionado" *---*

Brayan disse...

Como eu lhe disse, há um quê de Florbela Espanca nas tuas poesias (um quê não, dois três quatro quês!) e essa singeleza no tratamento com a natureza é tua grande carta na manga. Ou melhor ainda, no coração.

Um beijo, querida! Parabéns pelo blog!