Páginas

sábado, 20 de junho de 2009

Buscando um caminho.


Seus pés descalços batiam firmes naquelas pequenas pedras molhadas pelo lago e no céu as estrelas piscavam mais fortes, talvez por que a lua estava coberta pelas nuvens, a água estava gelada, o vento estava frio e as árvores pareciam que estavam inquietas, parecia que a qualquer momento sairiam andando para perto dela, para perto de seus sentimentos calados cobertos pela noite sombria. Tentou respirar fundo e continuar andando, a respiração saiu pesada e ela gostaria de saber o porquê de se aventurar numa noite fria, só podia ter adquirido gosto por ficar congelada, ou até estava ficando meio maluca, mas aquela vila não lhe cabia mais, só queria fugir dali de maneira bem rápida e que se fosse para ser logo seria naquela noite fria e tenebrosa que ninguém acordaria e sentiria sua ausência tão rapidamente.
O pequeno barquinho estava do outro lado do lago era só chegar nele e começar a remar, pegaria uma boa distância até o amanhecer, só que para onde iria não sabia dizer, talvez fosse para o sul, ou vivesse de uma forma nômade na floresta, como os seres que habitam na profundeza das florestas e se mudam para outra profundeza, se sentia tão confusa em relação a que caminho seguir que talvez deixasse com que o barco a levasse, que o vento encaminhasse para o lugar melhor e dispensaria os remos. O vento começou a balançar com mais intensidade as árvores e seus cabelos castanhos voaram e sentiu todo aquele vento frio no rosto e fechou os olhos e cruzou os braços em si, pensou que poderia ter pego uma vestimenta mais quente e ter colocado sapatos, trajava de um belo vestido camponês que parecia tão novo e lindo que ninguém diria que ela era uma camponesa, mas o vestido era frio para a temperatura e os pés já estavam quase congelando.
Com muito esforço logo no seu primeiro caminho tão próxima de casa sentiu que a viagem não iria ser fácil, chegou ao barco e ele era menor que imaginava, ali tinha dois pequenos remos e o barco apresentava áreas descascadas na madeira, subiu ao barco e viu que realmente era perigosa uma viagem com ele, e além do mais em dias de inverno sua roupa não era das melhores e não trouxera nenhum mantimento, sim ela estava louca, tinha saído tão depressa que lhe faltou ar e imaginação, estava só, querendo deixar sua fuga em nome da sorte, pegou os remos e olhou para trás e viu as luzes distantes da sua vila, e muito além de sua vila o reino mais próximo, onde habitava aquela imagem que roubara seus pensamentos e tinha tanto efeito sobre sua fuga ansiosa. Começou a remar devagar tentando se apressar, logo seria manhã, logo estaria longe.
No amanhecer o céu abria ao longe, parecia que sua sorte mudaria e os ventos a levaria para um sonho bom, que mentira maior para si mesma, o sonho bom estava naquela vila, estava naquele reino atrás de sua vila, estava naquele que lhe sorriu e a pegou pela mão, mas sua escolha estava feita, poderia existir algum outro sonho bom, no fundo de sua alma, porém, pedia com devoção que como em histórias ele saísse em aventura a sua busca, que logo escutaria passos de cavalo bem próximos atrás das árvores e ele sairia de lá buscando ela e esquecendo as diferenças que os cercavam, pensando nisso fechou os olhos lentamente e quando abriu ele estava ali, não em um cavalo, mas em outro barco pequeno pedindo que o vento parasse e que ela nunca mais desaparecesse do seu olhar.

13 comentários:

:DouG disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
:DouG disse...

Gostei, muito legal o texto Gaby. Não achei o CD ainda :\

Srtª disse...

Gaby, Amei seu texto, essa garota
se parece comigo, quando preciso dar um tempo nos stress, me aventuro sozinha numa noite fria :D
muito bom

bia disse...

que lindo!!! ^^

Jairo Souza disse...

^^! Cuidado! nem sempre eles vão atrás! hauahuahauah

mt bom o texto! bjs!

Pri C. Figueira disse...

Oi linda!

Que texto lindo! Suas palavras fizeram alguns pensamentos brotarem...
Quantas vezes fugimos, queremos apenas desaparecer, não sabemos que rumo tomar, mas lá no fundo desejamos que um alguém sinta a nossa falta e nos busque desesperadamente..?
Lindo Gaby!

Bjus

Thami disse...

Que lindo, Gaby!
Eu não sei, mas acho que toda fuga é na esperança de que nós mesmos nos encontremos, de que o outro nos encontre. E o que é o amor além da vontade de fugir de si para se encontrar no outro?

beijo!

Marina disse...

Às vezes o destino de alguém está longe, mas às vezes está mais perto do que ela imagina. Não é sempre que vale a pena fugir. Bom que para ela deu certo.

Obrigada pelo carinho, linda!

Thiago disse...

Gente que texto mais lindo! Emocionei demais!
Parabéns! Seu blog é demais!

beijoos!

PS: http://gettingmyselftogether.zip.net

Thais Michele disse...

"para perto de seus sentimentos calados cobertos pela noite sombria."


as vezes necessito estar perto desse sentimentos calados.

adorei o texto amiga!
lindo demais
bjo

Fabiana disse...

sempre gosto da sua sensibilidade ao escrever...

Nuriko disse...

Também quero alguém que me peça para nunca desaparecer de seu olhar! D:

Marcia disse...

Lindo Blog.....
Parabens =D