segunda-feira, 27 de abril de 2009

Aquele Frágil Unicórnio

Todas as sextas naquela pequena rua daquela pequena cidade, naquele jardim pequenino de rosas vermelhas, brancas e amarelas,uma casinha pequena existia,podia-se dizer que a casa já tinha mais de cem anos, só que estava pintada à tinta fresca e cuidada em todos os cantinhos. Na sexta-feira da quarta semana do mês daquele dia que começou tão cheio de sol lá estava ela mais uma vez fazendo faxina na sua pequena casa, uma senhorinha que não tinha seus cem anos ainda, mas estava chegando lá, sempre limpava toda a casa deixando por último o seu quarto, local onde habitava suas recordações, limpava com delicadeza o criado mudo, o abajur, trocava o lençol da cama, passava o pano no chão, jogava aroma de rosas sobre o ar, limpava o guarda-roupa e por fim o baú de madeira e tecido, lindo baú de tesouros da senhorinha, ela o abria e o arrumava todas as sextas, carta por carta, objeto por objeto, brinquedos, roupas, talvez o mais precioso de todos fosse o unicórnio de porcelana, antes de guardá-lo com os demais ela o segurava junto ao peito e fechava os olhos numa entrega doce, uma lembrança, quantas coisas lhe traziam aquele unicórnio, o tempo que era uma menina e os via em sua imaginação, seu aniversário de dez anos em que o pai lhe dera o unicórnio, o primeiro beijo que o derrubou no chão e lhe rendeu uma cola na calda, o tempo que era apenas sonhos, que possuía longos cabelos cor de caramelo e passeava pela floresta mágica com seu amigo branco como uma princesa e escapava dos dragões ao lado dele.Quando se casou levou aquele pequeno objeto a uma simples caixa e logo depois um baú. Depois de lembrar guardava o pequeno unicórnio e sorria aquele mesmo sorriso de menina, de adolescente e de princesa. Um sorriso apenas, de uma jovem que almejava ver no seu longo caminho centenas de unicórnios.

10 comentários:

A Flor do Sul disse...

É... sempre é um pequeno detalhe que faz toda a diferença...

Au revoir, mon petite.

David Monsores disse...

Ei menina!!!
Quanta coisa legal de se ouvir!
Muito delicadas tuas palavras.
Delicadas!
beijO!

Nathália Monte ;D disse...

que liindo isso aqui!! que figuras maras..
voltarei.
beijO chuchu

Maggie disse...

Olá!

Passei aqui para agradecer o comentário que deixou no meu blog.
Os meus parabéns pelo seu blog, é todo ele harmonia, na verdade uma doce melodia.
Parabéns!

Priscila disse...

Lindo! Da um ar tão bom ler isso *-*

Beijos

Jairo Souza disse...

Que lindo! Sinal que ela nunca parou de sonhar! Essencial! Vitalidade da vida!

Fabiana disse...

Amei!
Gostei tanto do seu comentário no blog do Jairo que resolvi dar uma espiada, pois me pareceu que temos a mesma estranha esperança que tudo pode dar certo. Estranha para os outros porque para mim é a mais doce certeza que tenho. E não estava errada. Seu blog é contém a leveza de um dente de leão, com a certeza que em cada pluminha que voa há uma semente oculta. Adorei!

Claudia Bittencourt disse...

Mágico. =)
Muito legal.

Uai moça, apagou o outro blog?
Beijos!

Marina disse...

Ah, a fantasia...

Ora, ora! Cantinho novo, flor? Muito lindo.
Beijos!

Suellen disse...

linda fotografia, amei o tom fantasmagórico!